Pesquisa eleitoral do instituto Ideia, encomendada pela revista Exame e divulgada nesta quinta-feira (23), mostrou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 45% das intenções de voto e o presidente Jair Bolsonaro (PL) com 36%. Ambos cresceram quatro pontos percentuais em relação à última pesquisa realizada pela empresa, em meados de maio, que ainda contava com a presença de João Doria (PSDB) na lista de presidenciáveis.

LEIA TAMBÉM:

>> Cinco apostas de Curitiba ficam a uma dezena de ganhar R$ 70 milhões na Mega Sena. Já conferiu?

>> Consulta ao segundo lote de restituição do IRPF 2022 é liberada nesta quinta-feira

>> Câmara de Curitiba mantém os 25 votos e confirma cassação de Renato Freitas

Na sequência aparecem Ciro Gomes (PDT), com 7%, e Simone Tebet (MDB), com 3%.Com 1% estava o deputado federal André Janones (Avante). Os demais pré-candidatos pontuaram abaixo disso.

Na pesquisa espontânea, quando não são apresentadas ao eleitor entrevistado as opções de candidatos, Lula e Bolsonaro também se sobressaem, ficando, respectivamente, com 35% e 30% das intenções de voto. Neste cenário, Ciro foi lembrado por 4% e Tebet e Janones, por 1% cada. Os demais pré-candidatos ficaram abaixo de 1%. O que disseram que votariam em branco, nulo ou que estavam indecisos somaram 28%.

Confira abaixo os resultados da pesquisa para primeiro e segundo turnos.

Pesquisa estimulada para presidente: 1º turno

Lula (PT) – 45%
Jair Bolsonaro (PL) – 36%
Ciro Gomes (PDT) – 7%
Simone Tebet (MDB) – 3%
André Janones (Avante) – 1%
Felipe d’Avila (Novo) – 0,5%
Pablo Marçal (Pros) – 0,5%
Vera Lúcia (PSTU) – 0,3%
Sofia Manzano (PCB) – 0,1%
Leonardo Péricles (UP) – 0,1%
Luciano Bivar (União Brasil) – 0,1%
Nenhum/branco/nulo – 3%
Não sabem – 4%

Pesquisa espontânea para presidente: 1º turno

Lula (PT) – 35%
Jair Bolsonaro (PL) – 30%
Ciro Gomes (PDT) – 4%
Simone Tebet (MDB) – 1%
André Janones (Avante) – 1%
Sergio Moro (União) – 0,4%
Eduardo Leite (PSDB) – 0,3%
João Doria (PSDB) – 0,2%
Luiz Felipe d’Avila (Novo) – 0,1%
Vera Lúcia (PSTU) – 0,1%
Outros – 0,3%
Nenhum/branco/nulo – 9%
Não sabem – 19%

Segundo turno: Lula x Bolsonaro

Lula (PT) – 48%
Jair Bolsonaro (PL) – 41%
Branco/nulo – 7%
Não sabem – 3%

Segundo turno: Lula x Tebet

Lula (PT) – 47%
Simone Tebet (MDB) – 20%
Branco/nulo – 28%
Não sabem – 5%

Segundo turno: Lula x Ciro

Lula (PT) – 45%
Ciro Gomes (PDT) – 33%
Branco/nulo – 19%
Não sabem – 3%

Segundo turno: Bolsonaro x Tebet

Jair Bolsonaro (PL) – 44%
Simone Tebet (MDB) – 23%
Branco/nulo – 29%
Não sabem – 4%

Segundo turno: Bolsonaro x Ciro

Jair Bolsonaro (PL) – 43%
Ciro Gomes (PDT) – 37%
Branco/nulo – 14%
Não sabem – 6%

Rejeição dos pré-candidatos a presidente

O instituto também perguntou aos eleitores em quem eles não votariam de jeito nenhum para presidente da República. Bolsonaro e Lula apresentam os níveis mais altos de rejeição. Veja:

Jair Bolsonaro (PL) – 44%
Lula (PT) – 42%
Ciro Gomes (PDT) – 18%
Simone Tebet (MDB) – 12%
Sofia Manzano (PCB) – 10%
Leonardo Péricles (UP) – 10%
Vera Lúcia (PSTU) – 10%
Luiz Felipe d’Avila (Novo) – 9%
José Maria Eymael (DC) – 8%
André Janones (Avante) – 7%
Pablo Marçal (Pros) – 6%
Luciano Bivar (União Brasil) – 6%
Não rejeitam nenhum – 4%
Não sabem – 6%

Metodologia da pesquisa

O instituto Ideia entrevistou, por telefone (fixos residenciais e celulares), 1.500 eleitores entre os dias 17 e 22 de junho. O levantamento foi contratado pela revista Exame e está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o protocolo BR-02845-2022. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa completa pode ser baixada em PDF neste link.

Por que a Tribuna e Gazeta do Povo publicam pesquisas eleitorais

A Gazeta do Povo e a Tribuna publicam há anos as pesquisas de intenção de voto realizadas pelos principais institutos de opinião pública do país. Você pode conferir os levantamentos mais recentes neste link, além de reportagens sobre o tema.

As pesquisas de intenção de voto fazem uma leitura de momento, com base em amostras representativas da população. Métodos de entrevistas, a composição e o número da amostra e até mesmo a forma como uma pergunta é feita são fatores que podem influenciar o resultado. Por isso é importante ficar atento às informações de metodologias, encontradas no fim das matérias sobre pesquisas eleitorais.

Feitos esses apontamentos, a Gazeta e a Tribuna consideram que as pesquisas eleitorais, longe de serem uma previsão do resultado das eleições, são uma ferramenta de informação à disposição do leitor, já que os resultados divulgados têm potencial de influenciar decisões de partidos, de lideranças políticas e até mesmo os humores do mercado financeiro.

Pantanal

Zuleica está preocupada com Marcelo

Instagramáveis

Saiba onde encontrar as lindas cerejeiras em Curitiba

Novidades da Netflix

Volume 2 de Stranger Things 4 e mais séries e filmes chegam nesta semana

Além da Ilusão

Joaquim termina seu noivado com Isadora