Brasília – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou nesta sexta-feira (25) que estará presente no carnaval do Rio de Janeiro. Lula afirmou que irá ao desfile das escolas de samba do Grupo Especial, na Marquês de Sapucaí, mas não definiu ainda se será na noite de domingo ou da segunda-feira de carnaval.

"O problema é que eu sou Beija Flor e o governador [Sérgio Cabral] é Mangueira e elas estão em dias diferentes. Então vou pensar qual é o dia em que venho", declarou o presidente.

Lula conversou com os jornalistas no Palácio das Laranjeiras, residência oficial do governador do Rio de Janeiro, após almoço em comemoração ao aniversário de 45 anos do governador Sérgio Cabral.

O presidente também disse que acredita não ser necessária a participação do Exército e da Polícia Militar para garantir a segurança das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Complexo do Alemão e em Manguinhos. Ele, no entanto, assegurou que o governo federal colocará à disposição do governo fluminense todos os recursos precisos para a realização das obras, inclusive a segurança.

"O principal já está acordado, que é o dinheiro, para fazer [as obras]. As condições vão depender apenas do governador. Ele que diga o que precisa que nós lhe daremos", declarou . "Acho sinceramente que não vai precisar de Exército nem de polícia porque os moradores do Complexo do Alemão sabem que os projetos vão melhorar a vida daquele povo. Eu acho que, se houver algum bandido lá, ele vai compreender que é persona non grata e vai querer que o povo viva tranqüilo."

Mais cedo, o presidente participou, no Rio, de cerimônia pelo Dia Internacional de Lembrança das Vítimas do Holocausto. Na ocasião, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu que o brasileiro deixe a violência de lado. ?Se fosse possível, o presidente da República bateria na porta de cada lar brasileiro, de cada escola, para fazer um apelo para que todos sejamos tolerantes, que deixemos a violência de lado", alegou.