O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aguarda apenas a avaliação do Ministério Público para formalizar o convite ao ex-ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau, afastado do governo em maio depois de ser acusado pela Polícia Federal de integrar o esquema da máfia das obras. Lula já pediu a emissários que sondassem Rondeau sobre a possibilidade de retomar o posto. Diante do interesse do ex-ministro, o Planalto espera, agora, a manifestação do Ministério Público como salvo-conduto para justificar seu retorno.

É o MP que vai decidir, a partir das investigações feitas pela polícia, se há ou não indícios para abertura de inquérito contra Rondeau. A expectativa do governo é que a decisão dos procuradores saia na próxima semana e a intenção é tomá-la como atestado de idoneidade. O caso está nas mãos da subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, que, no entanto, aguarda resultado de perícias da PF e informações da Controladoria-Geral da União (CGU).

Lula está convencido de que Rondeau foi ?injustiçado? e planeja reconduzi-lo ao posto. A volta só não ocorrerá, segundo auxiliares do presidente, se o Ministério Público concluir por sua culpa – hipótese considerada remota pelo Planalto. Lula voltou ontem da Europa e, em reunião com ministros, perguntou ao titular de Relações Institucionais, Walfrido Mares Guia, como fora a conversa com Rondeau. ?Muito boa?, respondeu Mares Guia, que convidou o ex-ministro para um lanche em sua casa, na quarta-feira. ?Silas me garantiu que não há absolutamente nada contra ele.?

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo