Manaus e Urucu  – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez ontem uma auto-crítica dos problemas de sua administração, reconhecendo que “governar nem sempre é fácil”. Em discurso feito em Manaus, o presidente afirmou que sabe o que prometeu e o que seu governo pode fazer. “Estou com a consciência tranqüila, vamos cumprir cada uma das coisas, sem a pressa dos apressados, mas com a cautela de quem sabe que o passo só pode ser dado do tamanho que nossa perna alcança”, disse.

Lula afirmou que não governa o País, mas cuida dele, durante a inauguração de um centro habitacional para hansenianos. “Governar nem sempre é fácil porque depende de muitas coisas para fazer tudo o que você sonha e o que você quer. Todo santo dia alguém me pergunta se estou governando o Brasil. Eu falo não. Estou cuidando do Brasil. Quero cuidar desse País com o mesmo carinho com que cuido da minha mulher, dos meus filhos. E quero cuidar desse País fazendo com que nenhum ministro, nem o presidente da República, nenhum funcionário público, meça qualquer sacrifício. Para que possam destinar todo esforço para ver se daqui a alguns anos nosso povo tenha mais saúde, educação, emprego e possa comer três vezes por dia”, afirmou o presidente.

Cobrança

Em meio às críticas de paralisia no governo, Lula cobrou empenho de setores da administração pública e da sociedade para a retomada do desenvolvimento e do crescimento econômico do País. Ao inaugurar uma unidade de processamento de gás natural da Petrobras, na região de Urucu, a 650 quilômetros de Manaus (AM), Lula disse que se houver disposição, mesmo sem dinheiro é possível realizar projetos. “Se você ficar sempre dizendo tem ou não tem dinheiro, você nunca vai conseguir fazer. De vez em quando tem de botar a cara para apanhar e dizer: eu vou fazer, independentemente de qualquer coisa”, disse.