Brasília

– Os apelos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao ministério foram atendidos: 24 de seus 36 ministros estarão ao lado do chefe na manhã de hoje, no palanque oficial do desfile do 7 de Setembro em Brasília. Diante da recomendação expressa ao primeiro escalão federal para não enforcar a segunda-feira imprensada pelo feriado, até os ministros políticos, que passaram o fim de semana dedicados à campanha eleitoral no interior do País, deixaram de lado as disputas municipais e desembarcaram logo cedo na Esplanada dos Ministérios.

O presidente Lula fez questão de dar bom exemplo: marcou para as 9h de ontem sua primeira reunião de trabalho no Palácio do Planalto, com o ministro da Casa Civil, José Dirceu. Em seguida, participou de reunião da coordenação política e, à tarde, concedeu audiência ao professor Cândido Mendes e despachou com assessores, antes de seu reunir com o ministro da Previdência Social, senador Amir Lando (PMDB-RO).

A presença da equipe econômica foi maciça ontem na capital. Enquanto o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, passava o dia em reuniões no Planalto, seu colega do Planejamento, Orçamento e Gestão, Guido Mantega, cumpria agenda no gabinete ministerial. Na lista dos ministros que começaram a semana com despachos em Brasília estão também Gilberto Gil, da Cultura, e Tarso Genro, da Educação. Estes dois últimos inclusive se reuniram à tarde.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Luiz Fernando Furlan, estará cumprindo uma agenda oficial na África do Sul nesta terça-feira, mas seu colega da Ciência e Tecnologia, deputado Eduardo Campos (PSB), voltará de viagem bem cedo, em tempo de assistir à chegada do presidente à Esplanada, em carro aberto. Já o ministro das Comunicações, deputado Eunício Oliveira (PMDB), passou a segunda-feira trabalhando normalmente em seu gabinete. Eunício apressou seu retorno a Brasília, onde chegou ainda no domingo à noite.

Não estarão na solenidade, o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que está de férias, o do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, que está na África do Sul, e a ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, que está na China.