O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu que o Ministro da Defesa, Nelson Jobim, visite o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e o local onde está sendo feita a identificação, por meio de DNA, das vítimas do acidente do Airbus. Durante o discurso de posse do novo ministro, Lula pediu a Jobim que assuma o compromisso de resolver a crise aérea, mas afirmou que não há resposta de curtíssimo prazo. O presidente disse que o governo vai aproveitar este momento para fazer definitivamente o que tem que ser feito.

Ele também lembrou das dificuldades do primeiro mandato para a liberação de dinheiro do orçamento e avisou que o governo não medirá esforços para resolver o problema. "Não precisamos de guerra para resolver as coisas. Temos que resolvê-las enquanto é possível resolver", destacou.

Lula afirmou que Jobim terá mais sorte que Waldir Pires porque ele irá brigar para que os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e o do Planejamento, Paulo Bernardo, sejam mais flexíveis na liberação dos recursos. "E não é por causa do acidente. É porque nesta crise, descobrimos as falhas que temos e precisamos resolvê-las. Agora, é fazer o que precisamos fazer, com a força que temos e gastando o que for preciso para dar tranqüilidade à sociedade", concluiu o presidente.