O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira (31) que não é possível o mundo continuar “insensível ao sofrimento do povo palestino” e pediu que o novo governo de Israel se comprometa com o processo de paz.

“Não é possível que, depois de tantos anos de negociações freqüentemente interrompidas por ações militares, não tenhamos ainda um Estado palestino coeso e economicamente viável. É importante que o novo governo de Israel se comprometa firmemente no processo de paz, com base nos acordos anteriormente alcançados”, afirmou Lula, ao discursar na abertura da 2ª Cúpula América do Sul-Países Árabes, em Doha, capital do Catar, em que participam 34 países sul-americanos e árabes.

Lula disse também que há “teses e mitos que tentam envenenar a atmosfera mundial”, depois dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos. “Não faltaram aqueles que imaginaram que existia uma incompatibilidade entre o Islã e os valores da democracia, defenderam um choque de civilizações, que ignorava a contribuição incalculável da tradição de tolerância árabe”, disse Lula.