Brasília – A insatisfação de governadores ameaça nublar, amanhã, a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Fortaleza para a recriação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Um dos focos de descontentamento está numa disputa cara, de R$ 2,6 bilhões, entre governadores e o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, padrinho da nova Sudene. Ciro quer administrar os recursos do Fundo de Desenvolvimento Nacional, criado durante a negociação da reforma tributária para compensar os estados mais pobres, prejudicados com a manutenção do ICMS na origem. Composto por 2% da arrecadação do IPI, o fundo seria, originalmente, destinado aos estados do Norte, Centro-Oeste e Nordeste. Mas o ministro defende que seja ampliado, beneficiando todas as regiões carentes do país.