Brasília – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu ontem a possibilidade de renegociar a dívida externa do Suriname com o Brasil, de cerca de US$ 85 milhões, e autorizou o repasse de informações do Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam) àquele país para reforçar o combate ao narcotráfico e ao contrabando na região comum de fronteira. Em encontro com o presidente do Suriname, Runaldo Ronald Venetiaan, Lula voltou a criticar o protecionismo agrícola da União Européia. Venetiaan, por sua vez, apoiou o pleito brasileiro de ocupar uma vaga no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). “O Suriname tem uma dívida com o Brasil, que não é muito para nós, mas certamente é muito para um país de 450 mil habitantes. Assumimos o compromisso de discutir com o governo do Suriname uma renegociação dessa dívida e o governo brasileiro vai tratar de apressar essa discussão”, disse Lula, ao lado de Venetiaan, em declaração conjunta ao final da reunião-almoço, no Itamaraty.