O presidente Luiz Inácio Lula da Silva visita o Programa Nuclear da Marinha (PMN) no Centro Experimental Aramar, em Iperó, região de Sorocaba, a cerca de 130 quilômetros da Capital.

No local, o Centro Tecnológico da Marinha abriga, desde 1986, instalações de testes, laboratórios de validação experimental e oficinas especiais com o objetivo de desenvolver instalações para produção de motores nucleares para a propulsão dos futuros submarinos da Marinha do País.

Lula irá conhecer duas novas gerações de ultracentrífugas para aquecimento de urânio projetadas no Brasil, que devem ser incorporadas às Indústrias Nucleares do Brasil (INB) a partir do ano que vem. Atualmente, o processo brasileiro de enriquecimento de urânio é um dos mais baratos do mundo e o País possui uma das maiores reservas da substância. No mundo, 16% da energia produzida é nuclear, mas no Brasil, o porcentual é de apenas 2,7%.

De acordo com a Presidência da República, os dois principais focos de atenção do Programa Nuclear da Marinha são o Projeto do Laboratório de Geração Núcleo-Elétrica (LABGENE) e o Projeto do Ciclo do Combustível, empregando ultracentrífugas projetadas no Brasil.

O projeto vai fornecer tecnologia ao País, tanto para a geração de energia elétrica para uso comercial, como para a construção de um submarino com propulsão a energia nuclear, com autonomia maior do que os movidos a óleo diesel.

O Centro Tecnológico da Marinha vai desenvolver também produtos para emprego na indústria aeroespacial, medicina e em outras áreas. Os projetos contam com a parceria de institutos de pesquisa nacionais, universidades e empresas privadas.