Luiz Henrique Romão, conhecido como Macarrão, amigo do goleiro Bruno de Souza, suspeito pela morte de Eliza Samudio, disse ontem que o sangue encontrado no carro do jogador de futebol é mesmo de Eliza.

O detento deu a declaração durante uma entrevista para a televisão Assembleia, feita pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o deputado Durval Ângelo (PT). O deputado visitou presos no Anexo I da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, para saber se há tratamento diferenciado entre os pavilhões do presídio.

Na visita, Macarrão falou sobre o desaparecimento da ex-namorada de Bruno e afirmou ser inocente. Na entrevista, ele disse que o sangue no carro do jogador de futebol era de Eliza Samudio. A jovem sumiu em junho de 2010, enquanto tentava provar na Justiça que Bruno é pai de seu filho. Bruno foi preso no dia 8 de julho daquele ano, acusado de sequestro e homicídio de Eliza. Macarrão também está detido desde então.