A mãe acusada de jogar a filha recém-nascida em um rio poluído de Contagem, Minas Gerais, pode ser indiciada por homicídio doloso (com intenção de matar), segundo a polícia. Se condenada, ainda de acordo com os policiais, a mulher pode pegar de seis a 20 anos de prisão, segundo informações do Jornal Hoje, da TV Globo.

Dois rapazes tiraram a criança do Rio Arrudas, no domingo, em um trecho que recebe esgoto das casas. Ela recebeu atendimento médico e foi encaminhada para a UTI da Maternidade Municipal de Contagem, onde ficou por quatro dias. Ontem, ela morreu. O corpo da menina está no Instituto Médico Legal (IML). Até o início da tarde desta sexta-feira (5), nenhum parente pediu a liberação.

Segundo boletim divulgado pela maternidade, "a causa imediata do óbito foi a falência de múltiplos órgãos, em decorrência da queda da freqüência cardíaca e da pressão arterial (choque)". O hospital informa ainda que no início da noite de ontem, a criança apresentou paralisação da função dos rins e não respondeu mais aos medicamentos, mesmo em doses altas. "O quadro que levou ao óbito foi desencadeado por edema cerebral associado à provável infecção generalizada", afirma a nota.

De acordo com a polícia, a mãe confessou que jogou a filha no rio e está presa em Belo Horizonte. Os policiais informaram que ela fez exame ontem para verificar a sanidade mental. A acusada também deve passar por exames para detectar lesão corporal e se ela sofre de depressão pós-parto. Os resultados devem ficar prontos em 30 dias.