Os confrontos da noite de quarta-feira, 1º, e madrugada desta quinta-feira, 2, deixaram 2069 alunos sem aulas no Complexo do Alemão, de acordo com a Secretaria Municipal de Educação. À noite, duas pessoas foram atingidas durante intenso tiroteio em Nova Brasília, no Alemão. O confronto com traficantes fez com que dez policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do local ficassem encurralados por criminosos durante a madrugada desta quinta-feira, 2.

As vítimas foram uma mulher de 27 anos e um menino de 11 anos. A criança foi atingida na perna e a mulher foi alvejada no peito. Os dois foram encaminhados ao Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha e não têm previsão de alta. Já os policiais foram atacados por traficantes no final da noite na Praça do Terço, região de difícil acesso da favela.

O Complexo do Alemão tem Unidade de Polícia Pacificadora desde 2012, mas desde 2013 os conflitos são constantes na região. Nesta semana, os tiroteios se intensificaram. No domingo, policiais foram atacados na localidade conhecida como Areal. Na segunda-feira, uma criança de três anos foi baleada na perna enquanto brincava com a irmão. David Soares foi encaminhado para o Hospital Salgado Filho e recebeu alta no mesmo dia. Na terça-feira, 30, também houve relatos de tiroteios no Areal.

Em nota, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) afirmou que criminosos atiraram contra policiais baseados na Praça do Terço. “Um cerco foi montado pelos agentes no local e houve confronto. Pouco depois, duas pessoas feridas, sendo uma socorrida pelos policiais, deram entrada no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha”. A CPP declarou ainda que “a informação de que policiais teriam ficado encurralados no local não procede” e que o comando da UPP determinou a abertura de uma investigação sobre o caso.