A major Larissa Carolina, da Força Aérea Brasileira (FAB), que foi baleada no domingo por policiais militares quando estava dentro do carro com o marido, o capitão Douglas Goushniyshi Marques, morreu no começo da madrugada desta segunda e teve o corpo enviado ao Instituto Médico Legal (IML) do centro do Rio, segundo informações do Hospital Estadual Rocha Faria, no Campo Grande, onde foi internada depois do acidente.

O casal de oficiais da FAB se recusou a parar em uma abordagem dos PMs do Regimento de Polícia montada na Rua Ponte Leme, próximo da Avenida Cesário de Melo, na zona oeste do Rio. Eles estavam em uma picape e não pararam, o que fez os policiais atirarem, sob a alegação de que o veículo era roubado.

Mesmo baleado, o capitão Douglas teria saído do carro e explicou que o carro era dele. Os policiais perceberam o engano, socorreram as vítimas, levando-as para o Hospital Estadual Rocha Faria, no Campo Grande. Durante a madrugada, o capitão foi operado e transferido para o Hospital da Base Aérea de Campos dos Afonsos.

Em boletim de ocorrência registrado na 35ª Delegacia de Polícia, os PMs disseram ao delegado Alexandre Guedes que a picape constava como roubada, o que realmente foi confirmado.

Segundo policiais civis da delegacia de Campo Grande, o delegado que não quis adiantar detalhes do que era apurado pela polícia, acredita que o casal tenha recuperado o carro das mãos de criminosos após pagamento de resgate