Militantes do PT e da CUT foram agredidos e vaiados pelos manifestantes que estavam na Avenida Paulista, próximo à Rua Haddock Lobo. Vestidos com roupas vermelhas e carregando bandeiras, os petistas respondiam às agressões gritando: “Democracia”. Já os outros manifestantes, que não querem a presença de partidos políticos no local, gritavam: “oportunistas”. Apesar da agressão, os militantes do PT e da CUT continuam seguindo a passeata, sentido Paraíso.

Um grupo se dividiu na concentração do sétimo protesto do MPL em São Paulo e começou a marchar no sentido Paraíso. Há cartazes pedindo fim da corrupção, a redução da maioridade penal, criticando os partidos políticos.

Na Praça do Ciclista, permaneceram grupos ligados à causa original da redução da passagem, com bandeiras de movimentos ligados a partidos, como, por exemplo, o “Juntos”, braço jovem do Psol.

Lojas, bancos, prédios empresariais encerraram o funcionamento. A presença da Polícia é maior do que no protesto de terça-feira, quando diversas lojas foram saqueadas no centro de São Paulo.