Entre as reivindicações contidas no documento entregue pelos manifestantes nesta quinta-feira, 20, ao número 2 da Secretaria-Geral da Presidência da República, uma critica à PEC 37, proposta de emenda à Constituição que limita o poder de investigação criminal do Ministério Público, garantindo essa competência apenas à Polícia Federal e à Polícia Civil.

“Repudiamos nessa oportunidade que seja intentada contra o Ministério Público qualquer proposta tendente a minorar ou deslegitimar o seu poder de investigação. É a instituição, aos olhos do povo, ainda uma das poucas a gozar de credibilidade, porque escancara e denuncia à sociedade o gestor público que deve sentar-se nos bancos dos réus. É quem faz o Estado brasileiro sair da sombra e buscar a luz. Aqui dizemos não à PEC 37”, diz o documento, entregue ao secretário-executivo.

A nota pública é assinada pelos advogados Francisco Paraiso Ribeiro da Paiva e Kayo José Miranda Leite. Conforme informou nesta quinta-feira o jornal O Estado de S. Paulo e antecipou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, a votação da PEC 37 estava marcada para o dia 26, mas o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), concordou em deixar o tema para julho.