O ministro da Fazenda, Guido Mantega, manifestou preocupação com a demora na aprovação da emenda constitucional que prorroga a CPMF até 2011."A CPMF está demorando. Evidentemente isto me preocupa. A não aprovação teria sérias conseqüências para o País", advertiu.

O ministro afirmou que não conta com a possibilidade de não aprovação da contribuição. Ele voltou a relacionar argumentos para mostrar a necessidade de manutenção da CPMF. "Não ter R$ 40 bilhões de arrecadação é um sinal muito ruim para o mercado, para o exterior. Hoje o Brasil goza de um conceito elevadíssimo lá fora e isto poderia arranhar o nosso conceito. Nós vamos ter que explicar como cobrir essa frustração de arrecadação que viria sem a CPMF ", disse.

O ministro afirmou que conta ainda com o apoio de senadores da oposição para aprovar a CPMF, que, na sua avaliação, são sensíveis ao risco de ela não ser aprovada. "Temos que zelar pelo equilíbrio fiscal e a CPMF faz parte da arrecadação. Eu tenho certeza de que os senadores de oposição se sensibilizam para isso".

Ele acrescentou que sem a CPMF o governo não poderá cobrir o acréscimo de R$ 24 bilhões de recursos para a saúde. Segundo ele este dinheiro está condicionado à aprovação da CPMF.