Pacífica até as 19h, a Marcha da Maconha, realizada na orla de Ipanema (Zona Sul do Rio), terminou em confusão e correria. Balas de borracha foram disparadas contra os manifestantes, que acusam policiais militares. Houve também a explosão de bombas gás lacrimogêneo. Até a conclusão desta edição não havia informações sobre feridos.

O conflito teria começado quando manifestantes reclamaram do bloqueio, imposto pela Polícia Militar (PM), de um carro de som que participava da passeata pela Avenida Vieira Souto. Os PMs disseram ter sido xingados e agredidos. Uma garrafa de vidro teria sido atirada contra eles.

Havia cerca de 10 mil pessoas na manifestação, de acordo com os organizadores. A Polícia Militar (PM) calculou em 2.000 os presentes.

A marcha foi a primeira realizada no Rio após a autorização pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que decidiu em junho do ano passado pela legalidade das manifestações públicas favoráveis ao consumo de drogas.