A ministra do turismo, Marta Suplicy, disse nesta segunda-feira (25) em São Luís que espera para outubro o fim da crise aérea, quando os novos aviões da Varig entrarem em operação. "O ‘apagão’ pode ser explicado por uma conjunção de motivos. Tivemos um aquecimento da demanda e perda de assentos, que foi agravada pela greve dos controladores. Tudo indica que a situação deva melhorar em outubro com a entrada em operação dos novos aviões da Varig. Agora a FAB (Força Aérea Brasileira) tomou medidas mais enérgicas e houve um aquietamento da situação no final de semana", comentou a ministra.

Ela também disse que já há prejuízos no setor turístico na região Nordeste, muito embora o Ministério ainda não tenha números para dimensionar a crise. "A região Nordeste é a mais atingida. Temos notícias de que alguns resorts e destinos nordestinos estão reclamando dos efeitos da crise, mas ainda não temos estatísticas sobre o assunto", comentou.

Durante uma coletiva no Palácio dos Leões, ela também negou que o presidente Lula tenha chamado a atenção dela sobre os acontecimentos da última semana, quando 40% dos vôos no Brasil atrasaram pelo menos uma hora. Marta Suplicy foi ao Maranhão para participar de uma reunião com os governadores do Maranhão, Jackson Lago (PDT), do Piauí, Wellington Dias (PT), e do Ceará, Cid Gomes (PSB), sobre o roteiro turístico que integra os três estados.