O Ministério da Educação (MEC) suspendeu nesta sexta-feira (6) o repasse de verbas às 59 organizações não-governamentais (ONGs) do País que possuem convênio para executar o Programa Brasil Alfabetizado. De acordo com Iara Bernardi, representante do MEC em São Paulo, a decisão foi tomada após uma reunião entre a cúpula do ministério e técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Desde o início da semana, o Jornal da Tarde e o Estado têm publicado uma série de reportagens apontando as irregularidades no programa. Turmas fantasmas, professores sem receber, classes em presídios desativados, alfabetizadores cadastrados no programa à revelia foram alguns dos problemas apontados. Na quinta-feira, o ministério já havia ordenado uma auditoria antecipada em todas as ONGs. Só depois disso, a verba voltará a ser transferida. ?Devemos realizar as auditorias no prazo mais curto possível?, frisou Iara.

Em todo o País, o governo possui 673 convênios para a execução do Brasil Alfabetizado. No Estado de São Paulo, 207 entidades integram o programa. A maioria dos convênios é com prefeituras ou órgãos estaduais. Essas entidades seriam auditadas, por amostragem, apenas no final do ano. Mas, depois da série de denúncias de irregularidades envolvendo ONGs, o ministério decidiu adiantar a fiscalização.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo