Brasília

– O Ministério da Educação (MEC) investiga a participação de instituições de ensino brasileiras na oferta irregular, em todo o País, de cursos de mestrado e doutorado em parceria com 147 universidades de Portugal, Espanha, Argentina, Estados Unidos e Cuba, entre outros . Os cursos não são reconhecidos pelo governo e os diplomas, portanto, não têm valor legal. Cerca de 9 mil alunos que fizeram mestrado ou doutorado nessas condições tentam regularizar sua situação no ministério. Os nomes dessas instituições devem ser divulgados em julho. O nó da questão está na “propaganda enganosa”, alertou ontem o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Carlos Roberto Jamil Cury. A Capes é o órgão do ministério encarregado da pós-graduação.