O quadro de saúde da menina Sofia Gonçalves de Lacerda, de um ano e oito meses, internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Jackson Memorial Hospital, em Miami (EUA), tornou-se ainda mais grave. Os médicos já falam que só um milagre salva a vida da garota.

A mãe, Patrícia Lacerda, disse neste sábado, 12, que a vida da filha já é um milagre, por isso mantém as esperanças. O bebê, portador de uma doença rara e que foi submetido a um transplante de multivisceral – quase todo o aparelho digestivo foi trocado – está entubado e respira com o auxílio de aparelhos.

A menina foi acometida por um vírus resistente quando se recuperava da cirurgia em regime de home care, numa casa alugada pela família em Miami. O vírus afetou os pulmões e, segundo a mãe, está resistindo ao combate com antibióticos. A carga virótica já comprometeu o funcionamento dos pulmões. “A nossa menina precisa de orações. Hoje a saturação dela voltou a cair em um dos resultados da biópsia, o que mostra que pode ter fibrose nos pulmões, por isso ela não consegue se recuperar sozinha”, postou a mãe em sua página na rede social.

Segundo ela, a menina já completou 40 dias entubada, mas continua lutando pela vida. “Vamos intensificar as orações para Deus fazer o impossível na vida da nossa Sofia”, pediu. Os médicos atribuem o quadro grave à infecção do pulmão, já que os órgãos transplantados – estômago, fígado, pâncreas, intestino delgado e intestino grosso – continuam em bom estado. A menina nasceu com Síndrome de Berdon, doença que impede o funcionamento do intestino e, sem o transplante, não teria chance de sobrevivência. Moradora de Votorantim, região de Sorocaba, a família iniciou uma campanha pela internet e conseguiu que o governo brasileiro bancasse o tratamento no exterior.