Depois de quase 210 dias em uma longa fila de espera, período em que ficou sob cuidados ininterruptos na UTI infantil do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor) o menor R.M.M., de 4 anos, foi submetido a um transplante de coração. Após o procedimento cirúrgico – que transcorreu das 21h de quarta-feira até às 2h de quinta-feira -, o paciente foi transferido para a unidade de terapia intensiva pós-operatória do Incor, onde permanece internado, informou o médico Miguel Barbero Marcial.

R.M.M. está consciente e respira sem necessidade de aparelhos. Embora ainda complexo e inspirando cuidados intensivos, o quadro clínico do paciente evolui de forma estável. Ele era portador de cardiomiopatia restritiva de causa não definida. A doença leva à fibrose progressiva do músculo cardíaco, causando a insuficiência do coração. Nessa situação, não ocorre o adequado bombeamento de sangue para outros órgãos, que progressivamente entram em falência.

No momento, o Incor, que é o maior centro de transplante infantil do país, mantém em fila de espera, quatro pacientes, com faixa etária entre 4 meses e 12 anos.