Sete estados, duas empresas federais, uma empresa estadual, a prefeitura de Itaguaí (RJ) e um hospital de Porto Alegre (RS) receberão recursos externos no valor total de US$ 4,3 bilhões.

O Ministério do Planejamento autorizou a contratação dos financiamentos após decisão da Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex) definida durante reunião realizada na última quinta-feira (27).

Entre os projetos aprovados, estão investimentos em saúde, em infra-estrutura e ações de apoio a empresas e ao meio ambiente.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foi o maior beneficiado, com três projetos que somam US$ 1,7 bilhão, com contrapartida de US$ 148,5 milhões. Os programas contemplados foram de apoio a projetos de infra-estrutura, crédito a empresas privadas e reforço para as políticas sociais e de desenvolvimento sustentável do banco.

Com financiamento de US$ 1,5 bilhão do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Banco do Brasil teve o segundo maior valor aprovado pela comissão do Ministério do Planejamento. Os recursos serão aplicados no desenvolvimento de micro e pequenas empresas e exigirão aporte do mesmo valor por parte do Banco do Brasil.

Para projetos estaduais, o ministério autorizou dez empréstimos que somam US$ 1,29 bilhão, com contrapartida de US$ 328,3 milhões. Com US$ 409 milhões aprovados para o Programa de Consolidação do Equilíbrio Fiscal, a Bahia é o estado que mais receberá recursos.

Os demais estados beneficiados são Ceará, Espírito Santo, Paraíba, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e Tocantins. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) teve liberados um empréstimo de US$ 600 milhões para a despoluição do Rio Tietê, com contrapartida de US$ 200 milhões.