Brasília

– O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, disse ontem a líderes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) que a Polícia Federal vai realizar, “no momento oportuno”, uma operação para desarmar milícias de fazendeiros em diversos Estados do País. Bastos, o diretor-geral da PF, Paulo Lacerda, e o secretário de Direitos Humanos, Nilmário Miranda, receberam seis coordenadores nacionais do MST, um advogado do movimento e o presidente da Comissão Pastoral da Terra, d. Tomás Balduíno, para discutir a violência no campo.

Bastos disse que a PF continua levantando dados sobre a atuação das milícias, seus integrantes e tipo de armamento. A investigação está avançada em diversos Estados e vai orientar uma “ação pesada” em data a ser definida. Essa operação deverá atingir também movimentos sociais que mantenham grupos armados, uma vez que o objetivo é coibir a violência de ambos os lados.

Mortes

Alarmados com o número de trabalhadores rurais assassinados este ano – foram 53, segundo a CPT, e 20, conforme a Ouvidoria-Agrária Nacional -, os líderes do MST pediram que a PF assuma as investigações.