O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, defendeu nesta sexta-feira (30), a realização da reforma política no país, aproveitando o ano eleitoral de 2008. Ele disse que é importante ter uma regra eleitoral estável, que permita uma previsibilidade também na área política. É fundamental fazer isso, afirmou.

Em palestra para empresários da Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro, Paulo Bernardo disse que, embora ainda não exista uma fórmula definida para a reforma, é importante haver fidelidade partidária, além de regras de financiamento de campanha transparentes e claras.

Eu acho que essa discussão que se faz de que se vai acabar com a reeleição e ampliar o mandato de cinco anos são questões relevantes. Tem que ser aprovado isso, afirmou. A realização da reforma política facilitaria ao governo promover outras reformas comentou Paulo Bernardo.

O ministro acredita que o momento é propício também para a reforma tributária, que, em sua opinião, poderá avançar ainda neste ano. Em todas as manifestações que temos visto, percebemos que há muito mais apoio do que oposição.

Para ele, o crescimento da economia, com geração de empregos, e o aumento de arrecadação registrado não só pela União, mas também por estados e municípios, favorecem a realização da reforma. Acho que é o momento ideal para fazer a reforma.