O responsável pelas finanças da Arquidiocese do Rio de Janeiro, monsenhor Abílio Ferreira, foi preso em flagrante pela Polícia Federal tentando embarcar para a cidade do Porto, em Portugal, com cerca de R$ 102,6 mil não declarados. No entanto, o religioso de 77 anos não ficou preso. Apesar de ter sido autuado no domingo por suspeita de evasão de divisas, que prevê pena de prisão mínima de dois anos e máxima de seis, em caso de condenação, seus advogados pediram a liberdade provisória, alegando que o religioso possui bons antecedentes, tem mais de 70 anos e sofre com “diversos problemas de saúde”.

A Justiça aceitou o pedido e determinou que Abílio compareça às audiências quando forem marcadas. Na mala em que o montante foi encontrado, havia 52.895 euros e US$ 778. O monsenhor só havia declarado 7.000 euros. O restante foi apreendido por agentes da delegacia do Aeroporto Internacional Tom Jobim e encaminhado para um cofre no Banco Central.

Em entrevista pelo telefone de seu apartamento na orla da praia da Barra da Tijuca, zona oeste, o monsenhor afirmou que o dinheiro seria levado para seus parentes e para a igreja na qual foi batizado, em Póvoa de Varzim, em Portugal. Segundo Abílio, a quantia é fruto de economias feitas ao longo de cinco anos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.