Morreu nesta sexta-feira (14) o recém-nascido jogado no lixo pela própria mãe há quinze dias em um hospital de Jacareí, no Vale do Paraíba, em São Paulo. A criança ficou duas semanas internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neo-natal do hospital São Francisco. O menino, que nasceu prematuro com 1,6 quilo, foi achado na lata de lixo de um banheiro do mesmo hospital onde ficou internado. A mãe, que já foi ouvida pela polícia civil, vai responder por homicídio.

Segundo os médicos, no dia 30 de novembro Andréa Rodrigues da Silva, de 21 anos, foi até o Pronto Socorro reclamando de dores abdominais e sangramento. Antes de ser atendida, ela negou a gravidez. Em seguida foi ao banheiro onde teve a criança sem a ajuda de ninguém. O menino foi achado por uma faxineira do hospital. O bebê foi imediatamente socorrido, mas estava em estado grave. Segundo a direção médica, o quadro de asfixia, detectado desde o nascimento, evoluiu e o bebê também apresentou uma infecção grave no intestino, com perfuração do órgão.

A mãe informou ao delegado Talis Prado Pinto que não sabia que estava grávida. A criança chegou a ser registrada pelo pai, que é da cidade de Campinas, com o nome de Pedro Augusto. "O pai disse que não tinha sido informado da gravidez. Já ouvi funcionários, os médicos e a própria mãe, que vai responder por homicídio qualificado", disse o delegado.