O Ministério Público do Rio de janeiro (MPRJ) denunciou Mauro de Carvalho de Jesus, acusado de matar e esquartejar com golpes de machado a esposa, em Campo Grande, no Rio de Janeiro, no dia 6 de janeiro de 2012.

 

Segundo a denúncia do titular da 20ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal, da 1ª Central de Inquéritos, Marcus Vinícius da Costa Moraes Leite, o crime ocorreu por volta da meia-noite, na residência do casal, no bairro de Paciência, enquanto Maria Cristiane Baia Mota dormia. Ela foi esquartejada e seu corpo foi colocado em sacos de lixo, que foram jogados em um matagal na Estrada do Campinho.

Para o MP, o crime foi cometido por motivo fútil, pois a vítima manifestava a intenção de acabar com o relacionamento com o suspeito, e mediante recurso que impossibilitou a defesa. Além disso, o suspeito se aproveitou de relações de coabitação e cometeu violência contra a mulher, acusa o MP.

Ao receber a denúncia e decretar a prisão preventiva, a Justiça reconheceu que a cena descrita na acusação do MP é “daquelas causadoras de gravíssima comoção social, com ataque direto a familiares e testemunhas”.

O réu está respondendo ao processo pelos crimes de homicídio qualificado, por motivo fútil e mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima, cuja pena base é de reclusão de 12 a 30 anos; e de destruição e ocultação de cadáver, com pena de reclusão de um a três anos e multa.