O Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul instaurou ação civil pública para apurar suspeita sobre a venda nas farmácias e drogarias de remédios com validade vencida. O procedimento foi adotado com base em denúncias feitas pela Vigilância Sanitária de Paranaíba, cidade a 410 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com a denúncia, os medicamentos vencidos – na sua maioria destinados ao controle da diabetes, problemas cardíacos e antidepressivos – são provenientes de grandes laboratórios e comercializados a preços acima de R$ 50,00 a caixa. Uma das pistas indicadas aos promotores públicos é a de que esses remédios estão sendo embalados novamente em São José do Rio Preto (SP), onde a data é modificada.

Para fugir de um provável flagrante em uma barreira da Polícia Rodoviária Federal, um motorista não identificado despejou na margem da BR-158, em Paranaíba, 296 cartelas contendo 4.016 comprimidos, entre eles vários de controle especial, conhecidos como "tarja preta". Os produtos, alguns com limite de validade ultrapassado em até seis meses, foram recolhidos pelos policiais e estão sob responsabilidade da Vigilância Sanitária de Paranaíba desde o dia 23 deste mês, quando foram localizados.