O Ministério Público Federal (MPF) em Mato Grosso denunciou nesta terça-feira (7) mais cinco ex-deputados federais e dois ex-assessores parlamentares por envolvimento na chamada máfia das sanguessugas que desviou verbas públicas por meio do superfaturamento na compra de ambulâncias e equipamentos hospitalares em vários Estados. Foram denunciados os ex-deputados Paulo Fernando Feijó Torres (RJ), Armando Alves Júnior (AP), Edilberto de Moraes Júnior (AC), Gilberto Nascimento da Silva (SP) e Ricarte de Freitas (MT).

Segundo as investigações do MPF, cabia a esses deputados a elaboração de emendas orçamentárias que destinavam recursos aos municípios e às entidades envolvidas no esquema. O órgão informa em nota, que eles recebiam de 10% a 15% do valor de cada emenda. A propina era paga por empresas que integravam a organização. Entre elas está a Planan, de propriedade da família Vedoin.

Entre os crimes pelos quais os ex-parlamentares foram denunciados estão os de formação de quadrilha, corrupção passiva lavagem de dinheiro e fraude em licitações. Os ex-assessores parlamentares Vander Cesário Rosa, ligado a Edilberto de Moraes Júnior, e Antônio Teixeira Souza, ligado a Gilberto Nascimento da Silva, também foram denunciados. Com isso, sobe para pelo menos 155 o numero de pessoas sob denúncia do Ministério Púbico Federal de participar do escândalo das sanguessugas apenas no Estado do Mato Grosso.