Mais duas suspeitas de morte por dengue estão sendo apuradas no Rio. Roberta da Silva Ramos, grávida de oito meses, e seu bebê morreram no meio da semana no Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias. O atestado de óbito do bebê indica como causa da morte a contração de dengue materna. Como em muitos casos ocorridos nos últimos meses, a doença não foi diagnosticada em uma primeira visita ao hospital.

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou as mortes e disse que testes laboratoriais ainda serão feitos para identificar se foram mesmo provocadas pela dengue. Roberta esteve pela primeira vez no hospital na segunda-feira, mas foi liberada e voltou para casa. Na quarta-feira (19), retornou já com forte hemorragia e os médicos descobriram que o bebê estava morto. Roberta entrou em coma e morreu dois dias depois.

Os problemas no atendimento hospitalar dos casos suspeitos de dengue provocaram protestos ontem no Rio. Um grupo de manifestantes esteve em frente ao Hospital Municipal Miguel Couto, na Zona Sul, com cartazes de protesto contra o prefeito Cesar Maia. O Miguel Couto é um dos hospitais mais sobrecarregados no atendimento aos infectados pela dengue. Na hora do protesto, a fila de espera chegava perto das 100 pessoas.