Os adolescentes negros do sexo masculino são as principais vítimas de homicídios no país. A taxa de negros vítimas de homicídio é três vezes superior aos de brancos. As informações são da Agência Brasil.

Os dados foram revelados nesta quinta na pesquisa que avalia o IHA (Índice de Homicídios na Adolescência), elaborado pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos, o Laboratório de Análise da Violência (UERJ), o Unicef e o Observatório de Favelas. O trabalho levou em consideração dados de 2009 e 2010.

De acordo com critérios do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e do IHA, a categoria negro equivale à soma das categorias de cor/raça preto e pardo.

Alguns fatores, como gênero e raça, aumentam a possibilidade de um jovem ser morto. Em 2010, a chance de um adolescente do sexo masculino ser assassinado era 11,5 vezes maior que a de jovens do sexo feminino. Se o indivíduo for preto ou pardo, a possibilidade aumenta quase três vezes em relação ao branco.

Os novos números do IHA revelam que, para cada mil pessoas de 12 anos, 2,98 serão assassinadas antes de completar a adolescência. O índice aumentou 14% em relação a 2009, quando foi de 2,61.