Recife – O secretário nacional dos Direitos Humanos, ministro Nilmário Miranda, e o ouvidor agrário nacional, Gercino Silva, acompanharam ontem, em Passira, no interior de Pernambuco, o enterro dos irmãos Edílson Rufino e Francisco Manoel, assassinados na madrugada de quinta-feira, dentro de casa, enquanto dormiam. Está prevista também a presença de mil militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), ao qual os dois irmãos eram ligados. Edílson, de 36 anos, e Francisco, de 28, faziam parte do Acampamento Gregório Bezerra, que luta pela desapropriação da fazenda Recreio. É tenso o clima no povoado de Chã Negro, a 15 quilômetros de Passira, 28, onde ocorreu o crime. No dia da morte de Edílson e Francisco, parentes e amigos ficaram da meia-noite até as sete da manhã sem poder retirar os corpos dos de casa, porque nenhum vizinho quis prestar socorro, com medo de se envolver.