O retorno às aulas não será prorrogado em São Bernardo do Campo e em outras cidades do Grande ABC paulista por conta da Influenza A (H1N1), a chamada gripe suína. A decisão foi tomada ontem, durante encontro no Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, que teve a presença da diretora do Grupo de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde, Tânia Guerschman, e os secretários de Saúde da região. Uma nova reunião será realizada na quinta-feira, para nova avaliação sobre casos da doença.

O secretário de Saúde de São Bernardo do Campo e coordenador do Grupo de Trabalho (GT) de Saúde do grupo, Arthur Chioro, disse que, por enquanto, as aulas não serão interrompidas. Um monitoramento diário será feito pelas cidades sobre a situação da enfermidade nas escolas e, caso sejam identificadas situações de surto – mais de três casos relacionados à gripe suína em um espaço de cinco dias -, caberá à equipe de vigilância epidemiológica do município avaliar a necessidade de suspender as aulas da classe ou da escola.

O grupo de trabalho do consórcio também decidiu fazer algumas reivindicações junto à Secretaria de Estado da Saúde, como o fornecimento de material em quantidade suficiente para a coleta dos exames laboratoriais para investigação dos casos, bem como equipamentos de proteção individual para a realização de exames nos Serviços de Verificação de Óbitos (SVO).