Brasília – O número de passageiros transportados pelas empresas aéreas brasileiras cresceu 2,8% em janeiro de 2008, em comparação com o mesmo mês do ano passado, passando de 9,7 milhões para 9,97 milhões de pessoas. Os dados são do balanço divulgado pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero).

Para o secretário de Aviação Civil do Ministério da Defesa, brigadeiro Jorge Godinho Nery, os números mostram que o cidadão brasileiro confia na segurança do sistema de aviação civil. ?Eu digo que as pessoas continuam viajando porque realmente confiam no sistema, se não confiassem não viajariam?, diz. O secretário afirma que segurança é um item primordial para o ministério.

Godinho afirma, também, que esse aumento da demanda torna ainda mais necessários os investimentos em infra-estrutura aeroportuária. ?Daí as preocupações que se tem, e que o governo está tendo para colocar toda a infra-estrutura aeroportuária em condição harmonizada com esse crescimento da demanda, para que nós tenhamos o crescimento da demanda e uma infra-estrutura aeroportuária instalada capaz de atender.?

O brigadeiro ressalta a importância das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para o setor, que estão previstas e também que já estão em andamento.

Já no aeroporto mais movimentado do país, o de Congonhas, em São Paulo (SP), os números fizeram o movimento contrário. Em relação ao movimento de janeiro de 2007, em janeiro de 2008 foram transportados 581 mil passageiros a menos, o que corresponde a uma redução de 38%. No primeiro mês deste ano foram transportados 950,9 mil passageiros, contra 1,5 milhão transportados no primeiro mês de 2007.

O governo federal aponta como causa dessa redução as medidas tomadas a partir de julho de 2007, ?para assegurar a segurança na utilização do aeroporto?. Entre essas medidas adotadas por determinação do Conselho de Aviação Civil (Conac) estão a redução do número de operações e a reformulação da malha aérea, para desafogar o aeroporto paulistano, o preferido das companhias aéreas. No primeiro semestre do ano passado o número de pousos e decolagens ia de 40 a 50 por hora. Atualmente está em 34.

Com o remanejamento de vôos de Congonhas, o aeroporto de Guarulhos (SP) e o Galeão, no Rio de Janeiro ganharam, junto, mais de 609 mil passageiros.