São Paulo

– O coordenador da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em São Paulo, João José Sady, responsabilizou a direção da Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor de São Paulo (Febem-SP) pelas constantes rebeliões e assassinatos nas unidades da instituição. Nos últimos dias, ocorreram vários incidentes. E só em 2003, em todas as unidades do Estado, foram registradas 114 ocorrências entre rebeliões e fugas. Na sexta-feira, houve rebelião, fuga e denúncia de maus-tratos em Ribeirão Preto. No domingo, dois jovens foram mortos a facadas por internos em Franco da Rocha. E, ontem pela manhã, ocorreu uma rebelião na unidade Raposo Tavares, na capital, que deixou 117 feridos (foto). “O modelo realmente está ultrapassado e é preciso uma mudança. O que nós não vemos é nenhum passo concreto com relação a essas mudanças”, disse Sady.