Brasília

– O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Roberto Busato, pediu ontem a anulação do concurso realizado pelo Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, no último dia 14. O concurso foi disputado por treze mil candidatos de todo o País e oferecia 503 vagas para técnicos e analistas judiciários, mas descobriu-se numa primeira investigação que, das 80 questões da prova, 38 foram clonadas de concursos anteriores, entre eles o Exame de Ordem da OAB de São Paulo e o vestibular da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo. Para Busato, que foi informado do escândalo pelo presidente da Seccional da OAB de Sergipe, Henri Clay Santos Andrade, o caso reforça a necessidade de criação de um órgão de controle externo do Judiciário. “A quem reclamar de uma fraude absurda dessas? Recorrer ao próprio Tribunal de Justiça se revelaria ineficaz, pois o escândalo mostra, pela sua extensão e gravidade, que os controles internos do Judiciário estão completamente falidos”, afirmou o presidente nacional da OAB.