A criação de um Tribunal Internacional da Amazônia, com participação de todos os países amazônicos, é a proposta do presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, para combater o desmatamento na região. "Permitir que a Amazônia seja arrasada, como vem acontecendo a passos largos, é cometer um crime contra a humanidade", afirma Brito, de acordo com nota divulgada pela Assessoria de Imprensa da OAB.

Conforme a nota, o Conselho Federal da entidade representativa dos advogados pretende promover ainda neste ano um grande encontro para discutir as questões da Amazônia e a criação do tribunal internacional, em busca de "soluções definitivas para que este patrimônio do Brasil e da humanidade não desapareça." O tribunal internacional, segundo Britto, serviria para pressionar os países da região a adotarem políticas públicas de preservação. A idéia, de acordo com os assessores da OAB, é a de criação de um tribunal permanente.