Genebra

– A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou ontem, em Genebra, que retirou o Brasil da lista de 29 locais onde há casos de síndrome respiratória aguda grave, a pneumonia asiática. No mundo são 7 mil casos, com pelo menos 500 mortes. O diretor do departamento de doenças transmissíveis da OMS, David Heymann, afirmou que a decisão foi baseada no fato de que há mais de 20 dias as autoridades locais não identificam casos suspeitos da doença. “É uma notícia muito boa, pois mostra que a doença pode ser controlada em algumas regiões”, afirmou Heymann. Mas o Brasil não pode se descuidar nos próximos meses, pois o vírus pode chegar ao País em vôos internacionais. “O risco continua para o Brasil, assim como para qualquer outro país.” A OMS acreditava que a taxa de mortalidade do vírus seria no máximo de 10%. Ontem a entidade anunciou que ela está entre 14% e 15% dos contaminados.

A OMS ampliou a relação dos locais que não devem ser visitados por causa da doença. Além de Pequim, Hong Kong e outras províncias chineses, a entidade incluiu Taipei e duas províncias chinesas, Tianjin e Mongólia Interior, na lista.