A gripe A (H1N1), que ficou popularmente conhecida como gripe suína, se tornou assunto recorrente em conversas no trabalho, na família ou entre amigos no último mês. Não importa a atividade, em algum momento o tema surge, seja pela suspensão temporária das aulas, seja para comentar o uso do álcool em gel ou de máscaras. Junto com esses comentários também cresceu exponencialmente os e-mails alarmantes sobre o panorama da pandemia no Paraná.

A onda de boatos se tornou tão forte que, aliado a outros fatores, isso contribuiu para que a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) criasse um site específico para falar oficialmente sobre a doença (www.novagripe.pr.gov.br), lançado na semana passada.

Além da Sesa, a utilização de nomes de médicos, enfermeiros e instituições de saúde nos e-mails fez com que hospitais, como o Pequeno Príncipe e o Hospital de Clínicas, e demais órgãos do setor, a exemplo do Ministério da Saúde, se manifestassem para desmentir os comentários que giravam na internet. O Ministério da Saúde disponibiliza o Disque Saúde (0800-61-1997) para atendimento à população.

Abaixo, O Estado destacou algumas dessas mensagens falsas que circulam na internet e as respectivas respostas fornecidas pela Sesa. Caso o leitor receba novas mensagens e fique em dúvida, o e-mail oficial para esclarecimentos é: novagripe@sesa.pr.gov.br.

NÚMERO DE MORTOS

Boato

E-mail diz ter obtido informações no Hospital Pequeno Príncipe, com dados extra-oficiais sobre a disseminação do vírus A (H1N1) e que afirma que “o governo tem omitido informações”. Diz a mensagem: “Nestes últimos dias, das 140 amostras laboratoriais analisadas pelo Lacen (Laboratório Central de Curitiba) 104 deram positivo. Dados não oficiais dizem que estão morrendo um número bem maior de pessoas do que as anunciadas pela mídia.”

Esclarecimento

O último boletim epidemiológico da Sesa informa que já morreram 79 pessoas no Paraná, dos 1.283 casos confirmados. Por diversas vezes o secretário da Saúde, Gilberto Martin, garantiu que o compromisso é com a transparência de informações à população. A situação epidemiológica no Paraná tem sido atualizada todas as segundas, quartas e sextas-feiras pela Sesa.

MEDICAMENTO VENCIDO

Boato

Familiares de uma jovem que estaria internada no Hospital Santa Cruz, de Curitiba, teriam obtido informações que os remédios fornecidos pelo governo para tratamento da doença estariam com o prazo de validade vencido.

Esclarecimento

A Sesa esclarece que todo o medicamento indicado para tratamento da nova gripe, como o Tamiflu, é fornecido pelo Ministério da Saúde e distribuído pelo governo do Estado às prefeituras paranaenses. Os remédios estão rigorosamente dentro do prazo de validade, responde a Sesa.

MORTE DE MÉDICOS

Boato

E-mails garantem que funcionários, médicos e residentes do HC, em Curitiba, teriam morrido devido à nova gripe.

Esclarecimento

O Hospital de Clínicas divulgou uma nota em seu site (www.hc.ufpr.br), para informar que, até agora, nenhum médico da instituição morreu por causa da nova gripe. “Não teve nenhum óbito de funcionário, médico ou residente do HC, mesmo porque não houve nenhum internamento destes por suspeita de gripe A (H1N1) até o momento”.

Mito DA UNIMED

Boato

Supostos médicos vinculados à Unimed, de Curitiba, estariam divulgando opiniões sobre a nova gripe como se estivessem falando em nome da cooperativa.

Esclarecimento

A Unimed tornou pública uma nota de esclarecimento na qual afirma que “repudia a conduta indevida adotada pelo autor desconhecido, pois lamentavelmente acaba por alarmar a população de modo absolutamente irresponsável”.

HÁBITOS ALIMENTARES

Boato

Anis estrelado, extrato-base do Tamiflu, seria ideal para combater a gripe, garante um e-mail. “Como é um pouco difícil encontrar o anis estrelado aqui no Brasil, podemos usar o nosso anis mesmo a erva-doce que possui o mesmo princípio ativo do anis estrelado…”

Esclarecimento

Manter uma alimentação saudável é essencial para prevenir qualquer doença. No caso da nova gripe, o melhor é tomar cuidados básicos de higiene, como lavar as mãos frequentemente, proteger o rosto ao tossir ou espirrar e higienizar constantemente superfícies, como maçanetas e telefones. Também é ideal evitar locais com aglomeração de pessoas.

FALTA DE remédios

Boato

Suposta conversa de MSN (serviço de mensagens instantâneas) garante que “o governo está mascarando a verdade porque além dos laboratórios não estarem dando conta de fazer os exames pelo volume de serviço, não existe medicação suficiente para todos.” Trechos do bate-papo:

“…os hospitais e as operadoras de saúde tão recebendo ofícios do governo para não divulgar dados.”

“…o HC teve 115 mortes já, mas só pode divulgar que teve 28.”

Esclarecimento

A Sesa ressalta que não há falta de remédios e que são distribuídos conforme a demanda. Sobre os números atribuídos ao HC, dados oficiais divulgados em 10 de agosto dão conta de que foram confirmadas nove mortes por gripe A (H1N1) de pacientes internados no local e outras aguardam o resultado de exames.