Erechim – Um ônibus escolar com 29 passageiros, caiu em uma barragem em Erechim, no norte do Rio Grande do Sul, matando pelo menos 17 pessoas entre 12 e 16 anos na manhã de ontem. Treze sobreviveram, entre eles o motorista, sendo que três foram atendidas no local e dez foram levadas com vida ao Hospital de Caridade para receber atendimento médico. O prefeito Elói Zanella decretou luto oficial por três dias.

Após o acidente, a equipe de resgate passou de casa em casa na região agrícola, a 380 km de Porto Alegre, para tentar descobrir quantos estudantes haviam entrado no ônibus. Com ajuda dos familiares, foi possível concluir que havia um total de 29 passageiros. “Às 13h30, o último corpo foi resgatado e as buscas foram suspensas”, disse Luiz Fernando Puhl, comandante regional dos Bombeiros do Planalto, que esteve no local do acidente.

O veículo, ficou submerso por cerca de três horas e depois retirado da água. Nenhum corpo foi encontrado em seu interior. Equipes de mergulhadores tiveram que procurar os desaparecidos no fundo da barragem, que tem oito metros de profundidade. O motorista, identificado como Juliano Santos, de 24 anos, foi resgatado e internado em um hospital. Os estudantes são transportados diriamente pelo veículo, um dos que a Prefeitura de Erechim contrata para levar os filhos de agricultores para a escola.

O local do acidente rapidamente foi cercado por familiares angustiados, que aguardavam a listagem com os nomes das vítimas. Muitos pais manifestaram revolta com o acidente. Cinco ambulâncias se dirigiram à área. O major João Alexandre de Oliveira, que comanda os trabalhos na região, disse que chovia no momento do acidente. O ônibus teria tido problemas mecânicos num trecho de estrada de terra que corta a barragem. O secretário estadual de Educação, José Fortunatti, viajou para Erechim.

Um dos 17 estudantes que morreram na tragédia com o ônibus escolar em Erechim, no Rio Grande do Sul, morreu ao tentar socorrer um colega depois de ter conseguido resgatar três estudantes. O garoto Rubens Gelinske, de 14 anos, resgatou três colegas porque sabia nadar. Mas, ao tentar ajudar um quarto aluno, “foi agarrado e acabou, infelizmente, perdendo a vida”, informou o âncora da Rádio Erechim.