Brasília – A Operação Colméia, deflagrada nesta quarta-feira (12) pela Polícia Federal (PF), resultou na prisão de 54 integrantes de uma quadrilha de tráfico internacional de drogas no estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Ceará.

Segundo o delegado Noerci da Silva Melo, da PF em Caxias do Sul (RS), a quadrilha atuava nos dois estados da região Sul, em lavagem de dinheiro, associação e financiamento ao tráfico. Se forem condenados, os 54 acusados podem cumprir penas que variam de três a 20 anos e, juntas, podem chegar a 55 anos para cada um deles.

Melo informou que foram apreendidos, na operação, 450 quilos de cocaína, equipamentos como prensa e balanças, além de embalagens que seriam utilizadas na preparação da droga e de 45 veículos. ?A droga vinha da Bolívia, passava pela a Argentina e ingressava no Brasil pela fronteira. Em seguida, era processada aqui no estado", explicou, por telefone.

Um dos detidos é Ademar Fracalossi, que segundo o delegado seria o chefe da quadrilha e ?líder de uma organização que há 10 anos atuava no estado  ? ele virou uma espécie de lenda do mundo do tráfico, onde era conhecido como Batista?.

O patrimônio do traficante é estimado em cerca de R$ 30 milhões. ?Ele possuía um clube em Santa Catarina onde artistas famosos se apresentavam e esses espetáculos invariavelmente geravam prejuízo, mas ele contabilizava como lucro e, dessa forma, lavava o dinheiro do tráfico?, explicou Melo.

Fracalossi também promovia rinhas de galo em um ginásio na cidade de Eusébio, no Ceará. No local, a PF encontrou cerca de mil animais.

De acordo com o delegado, a droga apreendida será destruída e os veículos, leiloados. O dinheiro, acrescentou, será aplicado em atividades de combate ao tráfico.