Ricardo Stuckert / PR
Ricardo Stuckert / PR

Para o presidente, o ambiente econômico no Brasil está cada vez mais atraente para os investidores externos.

A economia brasileira vive seu melhor momento desde a proclamação da República e o Brasil está destinado a se tornar um país desenvolvido. Esse diagnóstico foi apresentado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante o seminário "Brasil e Europa: Fronteiras do Futuro", realizado no Parlamento europeu.

Segundo o presidente, o País iniciou um longo ciclo de crescimento sustentável. "O Brasil é hoje um credor líquido no mercado internacional com reservas de US$ 150 bilhões", disse Lula a uma platéia integrada principalmente por empresários europeus e brasileiros.

Ele destacou a criação de novos empregos durante seu governo e a redução da inflação. "Estamos provando que é possível exportar fortalecendo o mercado externo, e de crescer com a inflação controlada", afirmou. "Em toda a história da República brasileira, de 118 anos, não houve um momento com tantos indicadores positivos como hoje." O Brasil, enfatizou, "vai se tornar definitivamente desenvolvido e forte".

Lula atribuiu o aumento da criminalidade às políticas econômicas adotadas durante as décadas que antecederam seu governo. "Essas pessoas que cometem crimes são vítimas do modelo de desenvolvimento dos últimos trinta anos, que preferiu priorizar o ajuste fiscal", disse.

Segundo ele, o ambiente econômico no Brasil está cada vez mais atraente para os investidores externos, inclusive com a implementação do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). "A miséria não atrai investimentos", afirmou.