Brasília – A dedução do pagamento da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) da contribuição previdenciária de quem ganha até R$ 2.894 vai beneficiar mais de 30 milhões de pessoas no país. O cálculo é do ministro da Fazenda, Guido Mantega.

"Quem ganha um salário de até R$ 2.894, que é o limite de contribuição da Previdência, vai pagar uma alíquota previdenciária menor em 0,38%. Se ele paga 7,5%, vai passar a pagar 7,12%", exemplificou o ministro, após encontro do qual participaram o ministro das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, e líderes da base aliada no Senado.

Além da redução da alíquota previdenciária, o governo concordou em reduzir em 0,02 ponto percentual por ano a alíquota da CPMF até 2011, quando a alíquota chegará a 0,30% – atualmente, é de 0,38%.

Segundo Mantega, nenhuma outra proposta de desoneração foi fechada durante o encontro, mas o governo estuda a redução de impostos como parte da política industrial a ser anunciada logo após a aprovação da prorrogação da CPMF.

"Nesse caso, não se aprovando a CPMF, não poderíamos fazer uma proposta de política industrial que vai implicar novas reduções tributárias", afirmou. O ministro deixou claro também que algumas das propostas do PSDB, que é da oposição, foram indiretamente contempladas com o acordo feito junto à base aliada.

Por outro lado, Mantega disse acreditar que a aprovação da proposta tenha unificado a base aliada. "Faz com que ela vá com combatividade para a aprovação do projeto da CPMF", afirmou.