Foto: Roger Meireles/A Gazeta do Iguaçu

Ciudad del Este: comércio paraguaio espera visita de Lula com otimismo.

Ciudad del Este – O presidente da União Industrial do Paraguai (UIP), Gustavo Volpe, espera que a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Paraguai, amanhã e segunda-feira, represente a retomada nas negociações para diminuir as barreiras brasileiras aos produtos industrializados paraguaios. ?Nós sabemos, e escutamos do presidente Lula, inclusive no mandato anterior, que ele ia colocar muito ímpeto ao tratar de ajudar uma economia pequena como a do Paraguai. Isso gerou uma expectativa muito positiva, uma esperança, mas lamentavelmente isso não aconteceu?, lembrou Volpe.

Um dos primeiros compromissos do presidente Lula no Paraguai será um encontro com empresários paraguaios e brasileiros. Volpe disse que está otimista em relação ao encontro. ?Renascem as esperanças de que o presidente Lula tome consciência dessa promessa que ele fez, que realmente ajude a destravar e ajude a economia paraguaia, eliminando essas travas, que impedem o comércio de venda de produtos realmente industrializados do Paraguai?, reafirmou Volpe.

Volpe lamentou o fato de o Paraguai só conseguir exportar matéria-prima para o Brasil, o que, segundo ele, não influi diretamente no equilíbrio comercial entre os dois países. No ano passado, o Paraguai registrou déficit de US$ 600 milhões em relacão ao comércio com o Brasil. ?Isso mostra claramente que nosso país não está tendo as mesmas oportunidades de poder vender seus produtos a um mercado importante, como o mercado brasileiro?, afirmou.

De acordo com o presidente da UIP, a falta de oportunidades de vender para o Brasil ocorre principalmente por causa das barreiras brasileiras ?muito bem montadas?. Para ele, ?são essas ?travas? que impedem que os produtos com valor agregado que saem das indústrias possam entrar [no Brasil] para que tenhamos um comércio muito mais ágil e um comércio bilateral mais equilibrado?.

O protecionismo brasileiro, segundo Volpe, ocorre em todos os níveis de governo. ?Há que se reconhecer que o Brasil tem uma estrutura muito boa para se proteger. Essas barreiras são federais, estaduais e até municipais, o que faz com que travem a entrada dos produtos no seu mercado.?

Gustavo Volpe acredita que a boa vontade do governo Lula em destravar o acesso desses produtos no Brasil é barrada pela burocracia. ?Devemos reconhecer, que sempre temos notado, que ele (Lula) tem boa intenção, mas muitas vezes o que o Planalto determina não é refletido na alfândega, em Foz do Iguaçu.?

A União Internacional Paraguia foi criada em 1936 a partir de uma exposição de 55 produtores industriais e hoje reúne associações das principais indústrias do país. A entidade é voltada para o desenvolvimento da competitividade industrial paraguaia.