Aumentou para 84 o número de mortos na tragédia causada pelas chuvas em Santa Catarina. Em seu último boletim, a Defesa Civil do Estado confirmava 22.952 desabrigados – pessoas que perderam tudo e precisam dos abrigos públicos – e 31.087 desalojados – os que podem contar com ajuda de vizinhos e familiares -, além de 30 desaparecidos. Entretanto, o número, de acordo com o major Márcio Luiz Alves, diretor estadual de Defesa Civil estadual, está “aquém da realidade”.

“Não é nenhum pessimismo. Há famílias soterradas sobre as quais não temos nem notícias. Esses desaparecidos [30, oficialmente] são fruto de pessoas que nos informaram. Quantos são os soterrados que ninguém sobrou da família ou as pessoas que estão sem comunicação? É uma situação desesperadora”, afirmou, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

Calamidade Pública

Gaspar, Rio dos Cedros, Nova Trento e Camboriú decretaram estado de calamidade. Brusque, Ilhota e Tijucas devem seguir a mesma determinação. O governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira (PMDB), decretou situação de emergência e afirmou que se enfrenta a pior tragédia climática da história catarinense. A Defesa Civil abriu contas bancárias para receber depósitos para ajuda às vítimas. Os dados das contas estão no site órgão (www.defesacivil.sc.gov.br).