São Paulo – O Primeiro Comando da Capital (PCC) ameaça seqüestrar o padre Marcelo Rossi. Há dois dias, o carro em que Rossi estava foi fechado por um Santana, na zona sul da capital, mas o padre conseguiu escapar. Ele evita atribuir o incidente a uma tentativa de seqüestro, mas já reforçou sua segurança e procura mudar sua rotina para se proteger dos criminosos. Padre Marcelo foi avisado da ameaça pelo governador Geraldo Alckmin, há menos de duas semanas, quando a polícia percebeu que os hábitos do religioso estavam sendo rastreados por pessoas ligadas à facção criminosa que domina os presídios paulistas. A Secretaria de Segurança Pública ofereceu uma escolta de oito policiais à paisana, que se revezam na guarda de Rossi. Além de adotar a proteção, o padre tenta mudar seus horários e caminhos para evitar a ação dos seqüestradores.