Brasília – O gastroenterologista Rodrigo Barbosa Villaça foi condenado a pagar R$ 43,2 mil ao programa Fome Zero e a prestar dois anos de serviço à comunidade por ter enviado fotos de pedofilia pela internet. A decisão é do juiz Marcos Vinícius Reis Bastos, da 12.ª Vara Criminal Federal do Distrito Federal. Villaça foi flagrado, em 11 de novembro de 2001, enviando fotos de crianças nuas em seu computador, no Hospital de Base de Brasília. Por meio de denúncias, a Polícia Federal soube, no dia anterior, que o médico estaria de plantão e que divulgaria na rede fotos com cenas de sexo entre crianças e adultos.

A sala do médico, no setor de endoscopia, foi arrombada. Policiais flagraram Villaça transmitindo as fotos e se masturbando.