Em nota lida nesta terça-feira (13) pelo líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), o senador Pedro Simon (PMDB-RS) contestou a declaração do líder do seu partido, Valdir Raupp (RO), de que teria se afastado da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) por não ter se informado sobre as propostas em relação à emenda que prorroga a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

Na nota, Simon informa que na tarde desta terça-feira, ao chegar ao Senado comunicou aos líderes do governo e do PMDB que votaria contra a permanência da CPMF. "Fui informado então pela senadora Roseana Sarney que a bancada do PMDB decidira votar favorável a substituir quem se declarasse contra. Mantenho minha convicção e darei meu voto contrário à CPMF quando da votação definitiva no plenário do senado", disse Simon.

Valdir Raupp, ao ouvir a nota de Simon, negou que a bancada tivesse decidido substituir quem se declarasse contra. O senador Marconi Perillo (PSDB-GO) rebateu Raupp alegando que o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), que também já tinha se declarado contra a manutenção da CPMF, só não foi substituído porque o governo fez as contas e concluiu que não correria mais riscos para aprovar a prorrogação.